quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Um tempão atrás eu acompanhava um blog que propunha um jogo literário aos autores participantes. A cada semana um deles escreveria um texto com palavras todas iniciadas pela mesma letra, percorrendo o alfabeto de A a Z. 

Há algumas semanas, entre uma insônia e outra, abri o notes no iPhone e comecei a escrever algo que envolveu "despedida" e "distância". Lembrei desse blog que eu lia (lembrei do blog, mas não do nome, e não consegui mais encontrar ele de jeito nenhum :() e resolvi desenvolver a ideia de escrever um texto todo com palavras iniciadas pela letra D.

Aprendi que isso se chama "texto aliterativo", uma das formas de "escrita constrangida" (wikipedia, um beijão). Foi um exercício bem interessante, acabei com uma lista gigante de palavras com D, que vinham à mente em variados momentos do dia, e não simplesmente abrindo o dicionário, porque daí não teria graça. Decidi também que o ideal seria não repetir palavras, mesmo que conjugadas de maneira distinta (fracassei no caso do desejo). 

No começo estava convencida de que é impossível escrever um texto FELIZ ou ENGRAÇADO com D, afinal depressão, drama e tantas outras palavras de cunho negativo pareciam dominantes, mas acho que diversão pode estar aí para provar o contrário. Quem sabe numa próxima ocasião. 

O caso é que o texto abaixo foge do padrão de coisas que costumo postar atualmente, não é engraçadinho, apesar de continuar semi autobiográfico hehe Foi uma brincadeira que começou (e continua) despretensiosa, mas tomei gosto pela coisa, poderia ter continuado a desenvolver a historinha e encaixar novas palavras eternamente... Enfim, o propósito único é mesmo marcar aqui a minha despedida de Dongguan (veja só, mais um D) depois de 3 anos e 8 meses.

É isso, o próximo post vem de Shanghai ;)


***



Decide desligar-se, desembarca destemida, depois desespera-se.
Despida de disfarces descobre dolorosas despedidas.
Destaca-se, divide-se, desmembra-se. 
Distanciar-se descortina duradouro descontentamento.
Defensiva, doravante deseja desapego, diligentemente dissimulando desprendimento.
Decepciona-se. Desencoraja-se.
"Desisto?", divaga diariamente.
"Depende", diz-se degustando demoradamente duas deliciosas doses duplas de destilado.
Desfalece durante delirante discurso decadente.
Desacordada, desvencilha-se das dúvidas, desfruta dos devaneios desprovidos de desencontros.
Diversos dias decorrem-se. Depressa, devagar, descompassadamente.
Deixa-se dormir demais, desperta desanimada. Deslocada, distrai-se.
Dentro dela dissemina-se desassossego.
Desgosta de demasiado drama, deseja diversão, deleite.
Diante de delicado dilema, desenha diferente desfecho. 
Destino?
Desertar.

3 comentários:

Débora disse...

Como meu nome também começa com D, achei que devia dizer: demais! :D
Boa mudança pra Shanghai!

Nataly disse...

Deslumbrante (sei lá, foi a única palavra com D que consegui pensar para elogiar teu texto que tá muito bem escrito).

BEIJOS!

P@i disse...

Fantástico!!