quarta-feira, 4 de maio de 2011

2666 - II

Às vezes se lançava, com seus companheiros, à conquista de uma posição inimiga sem tomar a menor precaução, o que lhe granjeou a fama de temerário e corajoso, embora ele só buscasse uma bala que levasse paz ao seu coração. Uma noite, sem querer, falou do suicídio com Wilke.
-- Nós, cristãos, nos masturbamos mas não nos suicidamos -- disse-lhe Wilke, e Reiter, antes de dormir, ficou pensando nas palavras dele, pois desconfiava que por trás da piada de Wilke talvez se escondesse uma verdade.


2666 parece não acabar nunca, ainda mais que não consigo ler mais do que meia dúzia de páginas por dia. No início (primeiras 300 páginas) estava adorando, mas a coisa foi ficando meio cansativa. Em todo o caso, ainda não perdi a fé de um desfecho avassalador.

Nenhum comentário: